terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Quando se vê, não é mais

Os dias escorrem mansamente e nós que acreditamos ter a vida nas mãos, nos surpreendemos quando nos damos conta de que não, nada acontece apenas por nossa vontade, nem mesmo nosso início e muito menos nosso fim nesse jogo de viver ou perder.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Apenas experiências



As coisas acontecem sem que tenhamos tempo de pensar sobre o que de fato elas representam em nossas vidas. Quando vamos ver, já é outro dia.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Lágrimas de felicidade



Parecia chuva, mas eram meus olhos marejados de felicidade.
Parecia Sol, mas era seu sorriso iluminando meu mundo.
Parecia noite, mas eram meus olhos fechados enquanto você me amava.
Parecia dor, mas era aquilo que nasceu e cresceu no meu peito quando você me fez rainha.

domingo, 11 de agosto de 2013

Três balas e hoje




As revelações não são em sua maioria novidades. São nada menos que verdades que nos negamos a acreditar.

As impressões que temos, às vezes, parecem ser aquilo que realmente gostaríamos que fossem, assim daria menos trabalho lidar com certas verdades indesejadas.

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Ser mulher

Houve um tempo em que mulher era um erro de Deus quando a cegonha descia do céu para presentear as famílias com novos membros. Crescia assim um pouco deixada de lado, porque enquanto não aprendesse a costurar, cozinhar e ajudar nos afazeres domésticos, não era parte efetiva da família.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Do cansaço como meio de sobrevivência


Cansei de ser loura.
Cansei de tanta coisa que não dou mais conta de carregar, de dizer, de mostrar. Canso, mas sigo em frente. E esse meu cansaço nada tem que ver com muito esforço e sim com tanto tempo gasto com o que não se pode mudar. As pessoas são o que são, as coisas são como são e não da forma ou no tempo que queremos. E isso é Lei da Vida: vontade não modifica.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Nova vida

E essa cara de trouxa que me arranca um suspiro da alma?

LNGS

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Chamado por Deus



Caminhando, absorta nos pensamentos mais profundos, ora em banalidades. Estudando o tempo, o céu azul e suas variações ao redor. Conversando com amigos ou em intensa atividade profissional, não importa: sei que estou sendo observada.

domingo, 16 de junho de 2013

Assim bate um coração



Momento delicado, de desconhecimento.
A ignorância me assusta, me apavora. Lidar com o que não sei é difícil, me deixa vulnerável. O desconhecido sabe quem eu sou, o contrário não.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Seu melhor é meu



Acredito firmemente que Deus nos manda ao mundo uma, duas, várias vezes para que completemos nossas missões. Não, nunca é o que gostaríamos de fazer ou o que achamos que poderíamos fazer: é o que Ele determina.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Primeira fase do teste prático



As vezes dá uma vontade de chutar o balde...
Sabe quando tudo parece dar errado e você só pensa em acabar com a angústia de uma vez?
Aí vem o teste.

domingo, 19 de maio de 2013

Só dói quando entra


Só faz mesmo diferença quando toca em algum lugar onde haja sentimento. Quando diz respeito apenas a razão, ao entendimento, então é muito mais fácil de passar por cima do erro alheio.

Novidadando, reinventando!


Sempre tive a ferramenta, ou melhor, desde 2010 que a tenho, mas só hoje resolvi usar, testar e ver no que pode dar.
Uma pitada de emoção ao blog! :-D


segunda-feira, 29 de abril de 2013

Resposta que não sai



Porque, de todo jeito, se o meu coração é capaz de amar, também será capaz de perdoar.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

A força e a garra do leão



Tanta agonia no peito nesses dias, tanto medo, tanto remédio... Hospitais, mais medo, muito mais agonia. Parecia que os minutos estavam contados, que nada de bom poderia acontecer. E mesmo assim eu tive fé.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

E que valha a pena, sempre!



Senti dor no peito, uma dor anormal, absurda. Revirei na cama, orei, tentei ignorar, mas nada passava, e eu pensei: aqui, sozinha, no escuro, longe dos meus, sem ajuda, chegou a hora, vou morrer.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Sendo eu quem sou, eis o que sinto



Pai,

Eu disse algumas coisas, na verdade muitas coisas a meu respeito, ainda que soubesse que, sendo quem é, o Senhor já soubesse de tudo. Tudo aquilo era verdade, algumas ainda são, porém em menor intensidade e a maioria evoluiu, ou foi apenas momento.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Sol e classificados



Uma luz batia forte e insistente em meu rosto. Ignorar não foi fácil: ela queria chamar minha atenção de alguma forma e parecia tentar me mostrar algo. O vento se uniu a ela e bateu as janelas. Com o barulho e a semi-escuridão repentina fui obrigada a levantar. E quando reabri as janelas, ele estava lá...

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Amizade gera amor, que gera amizade (ou não)



O respeito é base para qualquer relacionamento, e a amizade é base do relacionamento amoroso, pelo menos aqueles que se propõem a ser fortes e duradouros. Não haver companheirismo é ter o final do relacionamento decretado, com prazo certo de validade.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Possível sim, menos não



Sinto falta daquilo que nunca tive. Como pode? Deve ser porque eu sei que existe, sei que é possível. Nunca tive e sinto falta. Talvez por entender que só depende de mim para ter, ou que, no máximo, só preciso fazer as escolhas certas para conseguir.
É aí que mora a primeira parte do dilema: só de mim? Como, se sozinha não posso nada? Mas sozinha sou responsável por metade de tudo, o que já é muita coisa. E aí vem a segunda parte do dilema: se metade é muita coisa, como aceitar que a outra metade seja menos? Não pode ser, se for, não é a metade.
E que o amor não me derrote.

Lucille

terça-feira, 26 de março de 2013

Eu sei e sou imbatível



Acho que mereço uma medalha, uma placa, um busto em praça pública, sei lá!

Outra vitória: lutando que se aprende



Eu queria fazer, senti que precisava. Não era um sonho, mas uma finalização do sonho: a cereja do bolo. Escolhi o forno e fui em busca dos ingredientes, juntei os ingredientes um a um, misturando levemente, observando a mudança que eles faziam na tigela do meu pensamento. 

sábado, 23 de março de 2013

Se não ama, pra que fica?



Falar abertamente sobre tudo requer um pouco de cuidado, não com o que se diz — honestidade sempre —, mas com o coração de quem ouve. Manter um diálogo franco, não significa jogar as suas verdades no colo do outro esperando que ele acolha como se dele fossem. A verdade é invariavelmente dura, pesada e feia, e por isso merece paciência, atenção especial ao ser tratada, sempre considerando que o peito alheio carrega um sentimento que não é o mesmo que o seu.

quinta-feira, 21 de março de 2013

Naqueles dias, outros dias



Andava pelo saguão do aeroporto com uma sensação boa, uma paz e ao mesmo tempo uma ansiedade por estar prestes a descobrir um mundo totalmente novo. Ou não: poderia ser a mesma coisa de sempre ou até piorar. Eu só sabia de uma coisa: queria voltar mais que qualquer coisa naquele momento.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Despertar



Quando o dia inicia, algo lá fora chama baixinho: — Ei, acorda, olha só o que Deus preparou pra você! E aos poucos os olhos se abrem, os sentidos voltam à realidade. Devagar, preguiçosamente, reencontro no peito a alegria de fazer parte deste mundo, nesta vida; abro os olhos e vejo que além da minha janela existe um mundo esperando por mim.

sábado, 16 de março de 2013

Oportuno querer *

Sim
Você é minha caça e eu sou seu caçador
oposto complemento que te apaixonou
o meu abstrato eterno amor.

sexta-feira, 15 de março de 2013

O que é certo?



E de que adianta ter pressa? Para que brigar? Qual a vantagem em querer conduzir tudo nessa vida como bois no pasto? Por que dar nomes, criar regras, convenções, limites, ajustar aos moldes só para justificar ao resto do mundo coisas que dizem respeito a uma ou duas pessoas? 

domingo, 3 de março de 2013

Me basta ser caça

Sem querer abri a galeria de fotos do celular, vi nossa imagem: uma paz que emanava dos meus olhos, um bem querer no seu sorriso.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Pingos de rio

Tantos altos e tantos baixos, alguns com velocidade assustadora, outros com demora cruel. Há dias que a felicidade é uma luz azul clara emanando do corpo e brilhando em qualquer direção. Há dias que a tristeza é companheira, uma amiga inseparável.

Tem coisa que ainda dói, assim como outras não fazem mais sentido. E o que fez sorrir, bem, isso não morre nunca: não se deve desprezar motivos para sorrir, ainda que não existam mais — pode ser a salvação de uma vida.

E lá se vai quase um ano...

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Saindo da roda de samba


Um caminho sempre tem dois lados: entrada e saída. Invariavelmente pode até ter atalhos, becos, buracos, mas certamente onde se sai não será o mesmo por onde se entrou. E nem do mesmo modo. 

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Hora de acordar



Sabe quando você tem certeza de que estava tendo um sonho bom e fecha os olhos para tentar recuperar aquela felicidade, e quem sabe, transportar aquele momento para a realidade?
Sabe quando você deita com um cansaço pesado e passa suas poucas horas de sono lutando, fugindo, com medo, chorando, perdido e perdendo?
Sabe quando você dorme demais e acaba invertendo os polos do sonho, quando o campo verde e florido se abre e você cai num buraco, se machuca e descobre que ninguém pode te ouvir?

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Pitadas de notícias



Tanta coisa por ser dita, mais ainda para ser registrada e nada, absolutamente nada de a inspiração aparecer pra dar vida a esse turbilhão de acontecimentos extraordinários.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Quem me conhece, que me julgue

Dou a todo mundo o direito pleno de falar o que quiser pra mim, mas nego veementemente a quem quer que seja a remota possibilidade de me humilhar. Pra isso a pessoa tem que ter visto a minha infância, minha adolescência, minha luta sangrenta pra ser uma boa pessoa e profissional, minha dura jornada até aqui. 

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Do querer e da necessidade



O dia começou numa terrível jornada: cama-banheiro-cama. O dia anterior havia terminado com o Sol entrando pela janela. Sem sono, ela passou a noite fazendo pesquisas, lendo, jogando xadrez. Uma caixa fechada de chá de camomila foi usada na vã tentativa de apressar o sono. De nada adiantou, ele não chegou, ela tampouco queria deitar sem concluir algumas coisas e então foi se deixando levar pelas horas até o corpo pedir arrego. Quando levantou apenas duas horas após se deitar, não teve dúvida: não queria ver nada do mundo exterior, somente de seus sonhos. Cabelo pro alto, pijama velho, celular bem longe, tudo para tornar o momento depressivo especial. Levantava da cama apenas para ir ao banheiro e mais que rapidamente mergulhava entre os lençóis e travesseiros e assim foi da hora que se deitou as 5:30 até a hora que o telefone tocou a primeira vez as 15:35 da tarde.

domingo, 20 de janeiro de 2013

19 de janeiro



Bateu uma vontade de reviver os momentos Querido Diário… Sabe quando tudo que você quer (e/ou precisa) é contar como foi seu dia? Tenho apreço por essa forma de registro, mas me contenho, caso contrário o blog se torna nada menos que a continuidade daquelas folhas com linhas em branco, encadernadas e ansiosas por receber notícias dos meus dias de adolescente.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Cura de todos os males



Foi uma semana bem pesada. Uma? Duas semanas!
Trabalhar de segunda a sexta, parar sábado pra fazer curso, voltar domingo até a outra sexta, parar sábado pra aula na pós. Na quarta-feira o corpo começou a gritar. Na quinta-feira, trabalho a base de remédios. Na sexta e no sábado, saí de casa me arrastando. No limiar da força física, terminei o sábado com um choro leve de cansaço afogado dentro do ônibus, ao mesmo tempo feliz por poder desfrutar de algumas horas de folga até a próxima segunda-feira.
Nunca é suficiente, apesar de tudo. Após um sono de vitória, salto, maquiagem, cachos novos ao vento: Viaduto de Madureira, meu lugar.

domingo, 13 de janeiro de 2013

Doce literatura minha



Com atraso de 10 minutos, dentro da normalidade, adentrei a sala já cheia e muito rapidamente enquanto me movia para o fundo, deixei que os olhos percorressem o espaço e me dessem os dados estatísticos: apenas dois negros no meio de cerca de 30 pessoas — um deles era eu.